Untitled Document
Fale corretamente
 

Seja numa apresentação em público ou numa simples conversa um deslize na concordância, um tropeço na gramática ou um descuido na pronúncia podem ser fatais. Veja algumas dicas gramaticais da língua portuguesa que podem ajudá-lo a criar uma boa impressão quando utilizar a palavra.

Faz muitos anos

Quando o verbo fazer se refere ao tempo ou indica um fenômeno da natureza, ele é impessoal, ou seja, não tem sujeito, não pode ser flexionado e por isso deve permanecer na terceira pessoa do singular. O correto a dizer é: Faz 10 anos que eu não viajo ao Pantanal.

Para eu fazer

O correto é: para eu fazer a tarefa, porque o pronome eu é o sujeito do verbo.  “Mim” nunca faz nada, porque é apenas um pronome que serve de objeto para os verbos, vem na maioria das vezes no fim da frase. Ex: Diga isto para mim.

Meio prejudicada

Meio é advérbio invariável se refere à intensidade. O correto é usar o advérbio meio para dizer que a imagem de fulana de tal ficou meio prejudicada.

E quando o orador usar “meia” (numeral) no lugar de meio (advérbio) poderá comprometer o sentido da frase. Meia é um numeral.

A nível de Brasil

O termo a nível de está incorreto e deve ser evitado. Ele não acrescenta nenhuma informação à frase. Essa expressão pode ser substituída ainda por para, como, em relação a. Exemplo: A prova serviu para avaliar o aluno como candidato.

A diferença entre vir e ver

O verbo vir exige a forma vier. Deve, portanto, ser conjugado no futuro do subjuntivo. Por exemplo: Quando ele vier para casa, e não, quando ele vir para casa. Se eles vierem, e não, Se eles virem.

Já o verbo ver (enxergar) exige a forma vir. Assim, devemos usar: Quando ele vir, e não, quando ele ver. O correto é: Se eles virem o resultado, e não se eles verem.

De encontro e ao encontro

De encontro significa confronto, discordância. Exemplo: João foi de encontro a Mauro. Essa frase quer dizer que João foi contra a opinião de Mauro.

No caso ir ao encontro, refere-se a uma ideia favorável. Exemplo: As medidas tomadas vieram ao encontro dos nossos anseios. (satisfizeram os nossos desejos).

Há dez anos

O correto é usar somente a frase: Há dez anos. Evite usar nesta frase o termo atrás. Neste caso, o verbo haver já indica tempo passado e dispensa o atrás.

Menos

O termo "Menasnão existe no vocabulário da língua portuguesa. O advérbio Menos é a palavra invariável correta para ser usada.

Éramos seis

O correto é Éramos seis. Não se usa a preposição em entre o verbo e o numeral. Não deve dizer: "Éramos em seis no carro." 

Gerúndio 

Vou estar agendando o seu nome. Evite o Gerundismo na frase, que é o uso de uma locução verbal, ou seja, verbo auxiliar + verbo principal no gerúndio. O melhor é usar a forma sem o gerúndio: Vou agendar o seu nome.

Alguns lembretes sobre pronúncia

 Nobel (bél), ruim (ím), rubrica (brí), gratuito (úi), intuito (úi)

Gostou das dicas? Faça o curso completo com o prof. Romero Machado. Faça agora a sua inscrição. Clique aqui.

Palestras exclusivas, emocionantes e transformadoras, disponíveis para empresas, universidades e eventos em geral. Leve o Curso de Oratória in Company para sua empresa. Um treinamento moderno, prático e completo para líderes e colaboradores. Romero Machado realiza também o Curso Personal Coaching - Treinamento Particular de Oratória. Sob medida para você. Entre em contato. Clique aqui!

www.RomeroMachado.com.br 
Todos os direitos reservados.

 

 
 
Romero Machado Oratória Siga-me
 
 
 
Romero Machado© 2014 - Todos os direitos autorais reservados
 
Este site foi desenvolvido pela: Zigg Online