Untitled Document
Ordem de PrecedÍncia em Eventos e Solenidades
 

O Cerimonial está em constante modificação e adaptação, orientado pela própria evolução da humanidade. Podemos perceber que muitas normas seguidas há alguns anos, hoje já não são mais usadas. Elas se modificaram e se adaptaram à evolução.  Muitos confundem etiqueta, cortesia, boas maneiras, com Cerimonial. Na verdade, o Cerimonial utiliza bastante estes conceitos, com o intuito de harmonizar as relações humanas. Nada pode ser inventado em Cerimonial. Para que tudo transcorra dentro do estabelecido, existe literatura específica e normas oficiais para serem aplicadas, quando necessário.

CERIMONIAL – É um conjunto de formalidades específicas de um ato ou evento público, dispostas numa ordem sequencial, que envolve a ordem de precedência (protocolo) a ser observada, a utilização de indumentária própria e de elementos simbólicos, bem como o cumprimento de um ritual. 

PROTOCOLO – É parte importante do cerimonial e constitui-se do conjunto de normas para conduzir atos oficiais sob as regras da diplomacia, tais como a ordem geral de precedência. Em alguns eventos, principalmente aqueles nos quais estão presentes várias autoridades municipais, estaduais, com a formação de mesa de honra, o protocolo soluciona as dúvidas de quem deverá ser chamado primeiro, quem deverá ficar ao lado de quem ou quando irá pronunciar-se.

O Cerimonial e o Protocolo regem as relações e a civilidade entre as autoridades constituídas nos âmbitos jurídico, militar, eclesiástico, diplomático, universitário, privado e em todas as instâncias do Poder Público. No Brasil, são basicamente condutas norteadas por leis municipais, estaduais e federais que resguardam características culturais com base em normas internacionais; sem esquecer, contudo, que enquanto linguagem são passíveis de transformação e atualização.  

Muitas pessoas ao participarem de eventos e solenidades ficam em dúvida em relação a ordem de precedência. No cerimonial, a ordem de precedência é definida pelo Decreto nº 70.274, de 9 de março de 1972. Disponível no site: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D70274.htm

Ordem de chamada e dos pronunciamentos – Para fazer a chamada das autoridades, a ordem deve ser a de maior hierarquia para a menor. Já em relação aos pronunciamentos, a ordem é inversa.

Pronunciamentos – Para evitar que o evento tenha pronunciamentos longos, o cerimonial pede que:

- A mesa de honra tenha até 9 pessoas;

- Todos os que forem compor a mesa de honra sejam avisados com antecedência;

- Os integrantes da mesa, que farão uso da palavra, sejam avisados sobre onde sentarão e o tempo ideal de pronunciamento (usando o bom senso);

- Os discursos para a sessão de abertura podem ser feitos na própria mesa, estando o discursante em pé ou sentado, se preferir;

- Não é necessário que todos façam uso da palavra, mas que sejam avisados e consultados com antecedência se poderão ou não fazer um pronunciamento.

 

Fonte: Secretaria de Estado de Administração - Fundação Escola de Governo de Mato Grosso do Sul 


Gostou das dicas? Faça o curso completo com o prof. Romero Machado. Faça agora a sua inscrição. Clique aqui.

Palestras exclusivas, emocionantes e transformadoras, disponíveis para empresas, universidades e eventos em geral. Leve o Curso de Oratória in Company para sua empresa. Um treinamento moderno, prático e completo para líderes e colaboradores. Romero Machado realiza também o Curso Personal Coaching - Treinamento Particular de Oratória. Sob medida para você. Entre em contato. Clique aqui!

www.RomeroMachado.com.br 
Todos os direitos reservados.

 
 
Romero Machado Oratória Siga-me
 
 
 
Romero Machado© 2014 - Todos os direitos autorais reservados
 
Este site foi desenvolvido pela: Zigg Online